Testo


" O espírito se enriquece com aquilo que recebe;
o coração com aquilo que dá. "

Bem Vindos ao Portal Arco Íris

sexta-feira, 10 de março de 2017

O REIKI E A INICIAÇÃO DOS PÉS


No Sistema de Reiki que fui iniciada e que inicio meus alunos " Sistema Usui de Cura Natural + Sistema  The Way of the Heart, nos recebemos também a iniciação dos Pés.

O Sistema The Way of The Heart " O caminho do Coração" acrescenta mais três símbolos ao Sistema Tradicional Usui e promove a Iniciação dos Pés.

A Importância da Iniciação dos Pés

Ao entrar em contato com as técnicas físico/esotéricas, o iniciado tem a tendência de afastar-se do mundo material ou mundo físico. O equilíbrio harmônico do ser traduz-se em 50% espírito – 50% matéria.
Ao afastar-se do campo físico, a pessoa desarmoniza os chakras inferiores.
A iniciação dos pés estabiliza a energia do campo físico e proporciona ao indivíduo um centramento energético integrado com todos os seus chakras, além de promover um fio-terra para suas energias estáticas.
As mãos expressam a energia dos chakras superiores, que nos conectam com o Divino.
Os pés expressam a energia dos chakras inferiores, que nos conectam com o terreno.
O coração é a parte entre o terreno e o Divino: a verdadeira morada da mente.

"Os pés são de vital importância psicologicamente, porque eles são o contato com a realidade, o chão, a gravidade. Fisicamente, um desequilíbrio nos pés abala a harmonia da estrutura total". (W. Zchutz)

Razões Para as Iniciações dos Pés
(Trecho adaptado do livro "O Zodíaco, a Chave do Homem e do Universo", de Omraam Mikhael Aivanhof, versão portuguesa)
O milagre da multiplicação dos dois peixes e dos cinco pães atraiu a atenção de numerosos comentadores dos Evangelhos. Como explicar este milagre? Terá Jesus apelado para forças ocultas? Na verdade, creio que não é muito importante responder a esta questão e gostaria de falar-vos desta passagem segundo um outro ponto de vista, para vos mostrar que ela contém verdades essenciais da Ciência Iniciática.

Um dia em que reclamavam a Pedro os dois dracmas do tributo, Jesus disse-lhe: «Vai ao mar, lança o anzol e puxa o primeiro peixe que vier; abre-lhe a boca e encontrarás um estáter. Pega nele e dá-lho, por ti e por mim».


Há também o episódio da pesca milagrosa... E, num outro local, é dito: «Se pedirdes pão ao vosso pai, dar-vos-á ele uma pedra? E se Ihe pedirdes peixe, dar-vos-á ele uma serpente?".

Estas palavras não foram pronunciadas ao acaso. Os peixes e o pão lembram, por toda a parte, os signos dos Peixes e da Virgem (este último, no Zodíaco, é representado por uma jovem que segura na mão espigas de trigo). Jesus dizia também: «Eu sou o pão da vida... Eu sou o pão descido do céu a fim de que aqueles que dele comerem não morram». Os peixes e o pão são os símbolos essenciais do Novo Testamento; Jesus e os seus discípulos meditavam sobre estes símbolos.
O símbolo da virgem e da criança (Mercúrio), que encontramos nas imagens de Ísis e Hórus, da Virgem Maria e Jesus, é um símbolo da pureza. Ao passo que Júpiter, que é o planeta da generosidade, da benevolência, domina nos Peixes, que é o signo da vida colectiva e do sacrifício. Virgem e Peixes—eis o eixo do Cristo. Foi sob a influência destas duas constelações que a época cristã procurou desenvolver nas almas humanas as qualidades da Virgem e dos Peixes: a pureza e o amor ao próximo. Jesus, nascido da Virgem, manifestou-se como peixe. Como sabeis, os primeiros cristãos tinham como símbolo o peixe, e não a cruz. O próprio Jesus se chamava Ichtus (palavra grega que significa «peixe»), pois as letras desta palavra eram as iniciais de cada uma das palavras da seguinte frase: Iesus Christos Theou Uios Sôter (Jesus Cristo, filho de Deus, Salvador).


Voltemos agora ao relato da multiplicação dos peixes e dos pães.


Sabeis já que cada parte do nosso corpo está ligada a uma constelação do Zodíaco, e, segundo a Astrologia, o plexo solar está ligado à Virgem, e os pés, aos Peixes. Como a Virgem e os Peixes estão ligados e representam o eixo do Cristo, existe também uma ligação entre os pés e o plexo solar


O plexo solar faz parte do sistema simpático, que é um conjunto de filamentos nervosos, de gânglios e de plexos, do qual vou apresentar-vos um sistema muito simples. Ele está localizado por detrás do estômago e é formado por cinco gânglios comuns e por dois gânglios ditos «semi-lunares» que têm a forma de peixe. São estes os cinco pães e os dois peixes—macho e fêmea—reunidos.


Enquanto o filho se encontra no ventre da mãe, está ligado a ela pelo cordão umbilical. É por este cordão que ele se alimenta. A mãe representa, então, a natureza. Quando o filho nasce, corta-se o cordão e, deste modo, ele fica separado da mãe. Mas existe um outro cordão, invisível, que mantém a criança ligada à grande mãe Natureza e que continua a alimentá-la. Este cordão não deve ser cortado antes de o homem estar bem preparado para a sua vida separada. Se este laço for cortado prematuramente, o homem, filho da natureza, deixa de ser alimentado e morre. É através do plexo solar – centro que, segundo a Astrologia, está ligado ao signo da Virgem – que este cordão invisível liga o homem à mãe Natureza.


Os dois gânglios semi-lunares permitem ao homem viajar no espaço, e os cinco gânglios comuns são os cinco pães que alimentam a multidão de células que constituem o organismo. Cada gânglio comum está ligado a uma das cinco virtudes simbolizadas pelo pentagrama: a bondade, a justiça, o amor, a sabedoria e a verdade. Mercúrio, que domina em Virgem, é representado no Evangelho pelo menino que trouxe os pães e os peixes de que a multidão depois se alimentou. O pão são todas as células que compõem o corpo físico que, em cada dia. são alimentadas pelos dois peixes e pelos cinco pães do plexo solar.


Começais a compreender mais claramente que este relato do milagre que Jesus fez ao alimentar uma multidão de vários milhares de pessoas com dois peixes e cinco pães é um relato simbólico que não deve ser tomado ao pé da letra. Em cada um de nós, o plexo solar alimenta milhares e milhares de células com os seus cinco pães e os seus dois peixes. Numa outra passagem dos Evangelhos, está escrito: «Naquele que crê em mim, do seu seio jorrarão rios de água viva». Também aqui é ao plexo solar a que Jesus se refere.


Para que o Cristo possa alimentar esta multidão de células, é preciso que a nossa consciência superior esteja desperta. Todas as pessoas possuem um plexo solar, mas para a maioria delas este trabalho sutil não se realiza por causa da vida desordenada que levam, atoladas na matéria. Todos os homens possuem dois peixes e cinco pães, mas a maior parte só se alimenta parcialmente, fisicamente, sem saber que a nutrição se deve realizar também no plano espiritual.


O eixo Virgem-Peixes, que está relacionado com a sexta e a décima-segunda casas astrológicas, explica-nos isso. A casa VI é a das questões da saúde e da doença, mas também da pureza (a Virgem).
Quando eu vos expliquei o milagre da multiplicação dos dois peixes e dos cinco pães com os quais Jesus alimentou cinco mil pessoas, disse-vos que a era cristã está sob a influência dos Peixes e do signo oposto, a Virgem. Jesus nasceu da Virgem e representa os Peixes. Na lavagem dos pés, vamos encontrar este eixo Virgem-Peixes, mas sob um outro ponto de vista.


(A) A energia que ascende pelos pés – a energia da mãe terra penetra através dos chakras dos pés, e em linha ascendente, vitaliza os chakras dos joelhos, sacro, umbilical, plexo solar, cardíaco, e ali se divide, seguindo uma porção para um centro localizado no ombro esquerdo, e outra para o chakra laríngeo. A energia do centro do ombro segue para o centro ajna


(B) Outra linha de energia penetra pelas mãos, vai até os ombros e dái até o coração. Essa é a energia do REIKI. Note-se a importância do coração, o centro receptor, regulador, mantenedor e distribuidor de energia do sistema.


Nota: Diz-se que:
A iniciação dos Pés introduzida no Sistema de Reiki, foi um trabalho desenvolvido pela Mestra de Reiki, terapeuta física e naturopata praticante Gerda Drescher  que desenvolveu um método de sintonia energética especial (abertura do pés).
As aberturas dos pés são geralmente chamados de iniciações dos pés, em linguagem informal.

Esse método foi desenvolvido  como medida terapêutica para  melhorar e aterrar seus clientes.  Experimentado  o método trouxe  sucesso ao propósito a que se destinava e a partir de então a Mestra Gerda, passou-o a seus alunos mais  adiantados,
Ela  absolutamente não sustenta que as chamadas  iniciações dos pés sejam um componente do Sistema  Tradicional Usui. Segundo Gerda, todos os que forem  iniciados em Reiki necessitam automaticamente de  iniciações dos pés, pois o campo de energia do corpo  se tornaria desarmonioso, sem a interão das energias do céu (masculina e da terra(femina).

Segundo Gerda, os efeitos das  iniciações dos pés têm consequências incríveis. Além  da intensificação da ligação com a Mãe Terra, essa  integração do pólo mais baixo leva também a um confronto com a natureza física, a mente inconciente que está escondida no íntimo de uma pessoa e de sua  sombra.

Na Alemanha  o Mestre Michael Prgomet, também ensina e faz  a iniciação dos pés que  é uma versão adaptada ao Reiki ligada à Índia  (Osho).




Fonte: Apostila de Fatima dos Anjos/Alessandra Sanan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...